9 dicas essenciais para você fazer uma adaptação escolar tranquila e sem traumas

2
1120

Pais e filhos passam por adaptações desde o nascimento, enquanto o bebê se familiariza com os novos hábitos fora do útero, com a mãe, sua voz, seu cheiro… e os pais vão entendendo também o que ele precisa por meio do choro (descubra com distinguir o choro de seu bebê clicando aqui), se está com fome, se precisa trocar a fralda, se está com dor, sono… pais se adaptam muito também, precisam ajustar a sua rotina, sempre respeitando o ritmo do bebê.

Depois de toda a adaptação do início, agora que vocês já se conhecem bem e a nova rotina já está estabelecida chegou a hora de ir para a escolinha e aí tudo muda novamente…

Podemos entender como adaptação qualquer período que precisamos nos acostumar a uma nova situação na vida e a capacidade de adaptação depende da forma que ela é realizada.

Por envolver um encontro com algo que não conhecemos, a entrada da sua criança em um berçário, uma creche ou escolinha desperta na gente um certo medo, que vem acompanhado de muitas expectativas. Com o medo, muitos outros sentimentos vêm acompanhando essa adaptação, não só para a criança, mas para toda a família também.    

Para a escola, também é uma fase bem difícil, pois é preciso passar segurança e criar vínculos afetivos com as crianças e com os pais.

Mas o que fazer para passarmos pela adaptação da nossa criança na escola de uma forma tranquila e sem traumas? O que fazer para ajudar? Como podemos passar por essa fase da melhor forma possível?

Neste artigo vamos conversar bastante sobre isso.

A gente sempre ouve falar que nenhuma mudança é fácil, porque o ser humano tem a tendência a se apegar a rotinas e hábitos. O ser humano é formado por hábitos, como dizia Aristóteles, alguns positivos e outros nem tanto.

Os hábitos que a criança vai adquirir na escola, as coisas que vai aprender, a sociabilização que vai desenvolver farão parte de sua formação. E para que uma adaptação na escola ocorra da melhor forma para todos os envolvidos, ela deve ser bem conduzida, minimizando os desconfortos que sentimos com as mudanças.

Para isso, a integração da criança numa escola deve ser feita gradualmente, isto é, passo a passo, sem pressa nem tensão. É muito importante respeitar o tempo e as necessidades de cada criança individualmente.

Nos dias em que vivemos, muitos pais acabam se culpando por não poderem ficar com o seu filho por precisarem trabalhar. Mas não podemos esquecer que o que mais importa não é a quantidade de tempo que você passa com o seu filho, e sim a QUALIDADE desse tempo. Não precisamos nos sentir culpados, pois as crianças crescem, amadurecem e precisam de novas experiências com outras crianças da mesma idade. Uma hora ou outra isso vai ter que acontecer.

Para que essa fase seja boa para todo mundo, precisamos nos preparar antes, pois quando temos previsibilidade do que pode acontecer e de como vai ser, enfrentamos tudo com mais confiança, não é mesmo?

Para essa preparação, alguns cuidados são essenciais:

  • Escolher bem o local que vai deixar sua criança: Fica perto da sua casa? Tem referência e indicação de outras pessoas que deixam seus filhos lá? Como é o ambiente? É limpo, arejado, seguro e é apropriado para a idade da sua criança?
  • Conversar com a escola como funciona a adaptação lá, se ela respeita que a integração seja gradual.
  • Procurar saber se os cuidadores possuem instrução e experiência para bebês da idade dos seus e se poderá discutir sobre suas preocupações e quaisquer mudanças que você observar na sua criança.
  • Procurar saber se possuem agenda de rotina para saber o que seu filho comeu, o que comeu, que horas dormiu, por quanto tempo… para que se ajustem quando chegarem em casa.
  • Organizar quem, como e os horários que vão deixar e buscar a criança na escola, para que seja um momento gostoso, sem pressa.
  • Organizar o material escolar e de higiene que a criança vai precisar para levar com antecedência e checar a bolsa/mochila todos os dias para saber se está tudo em ordem ou faltando algo.
  • Se ela for maiorzinha, leve-a para escolher a mochila nova, envolva-a na compra do uniforme e dos materiais e faça do primeiro dia um dia feliz, para ser festejado!
Valentina escolhendo sua mochila antes do primeiro dia de aula.

Sobre a melhor idade para se adaptar

Uma mãe que trabalhou até o final de sua gravidez, pode ficar com seu bebê em casa até o quarto mês (120 dias) de vida dele, quando chega o fim da licença maternidade. Se tiver férias vencidas, pode ficar mais um mês em casa e aproveitar um pouco mais esse benefício. Se tiver sorte e trabalhar em alguma empresa que faça parte do Programa Empresa Cidadã, ainda pode prorrogar por 60 dias a duração da licença-maternidade, conseguindo ficar com seu bebê pelo menos até os 6 meses de idade.

Essa é a realidade de muitas mães brasileiras que trabalham com carteira assinada, muitas acabam buscando se reposicionar profissionalmente para conseguir continuar passando mais tempo com seus filhos, ou seguem para o empreendedorismo materno.

Bom, mas voltando ao caso dessa mãe que tem que trabalhar e precisa deixar seu bebê em uma escolinha. Com certeza antes de se aproximar este dia de retorno ao trabalho, ela vai ter que fazer a tão temida adaptação escolar.

E sabemos que quanto menor a criança, mais difícil parece ser a separação e maior é a ansiedade dos pais, principalmente porque o bebê não consegue falar e expressar o que está sentindo, como foi o seu dia… e isso provoca mais apreensão dos pais. Na realidade, quem sofre mais são os pais mesmo, não a criança. Crianças se adaptam mais fácil às mudanças.

No Brasil, desde abril de 2013 quando foi publicada a Lei n. 12.796, é obrigatório matricular as crianças na educação básica até os 4 anos de idade. Antes disso, a idade mínima era de 6 anos.

Para alguns especialistas em educação, quanto mais cedo o ingresso da criança na escola, mais benefícios ela terá, como socialização, aprender a dividir e convivência em grupo.

Outros especialistas asseguram que o processo de socialização só começa a partir dos 2 anos e que o ideal seria a criança iniciar na escola com 3 anos e por meio período.

Então, não adianta, não existe receita. Nós pais é que sabemos o que é melhor para o nosso filho e a necessidade familiar que temos. O negócio realmente é investir em uma boa adaptação na escola, independentemente da idade da criança.

Depois dos cuidados na preparação para esse momento, preste atenção nestas 9 dicas que considero essenciais para uma adaptação escolar tranquila e sem traumas:

1 – Leve um pedacinho da casa

Quanto menos falta a criança sentir da sua casa, melhor. Por isso, procure levar alguma coisa que ela tenha algum apego, como um brinquedo, um travesseiro ou uma manta, para confortá-la e ajudá-la na adaptação. 

2 – Nunca minta

Mesmo que você ache que sua criança não está entendendo nada, sempre explique para ela o que está acontecendo, porque ela vai entender sim. Nunca, em hipótese alguma, minta para ela. Quando chegar na escola, fale que ela vai ficar ali, que ela vai ser cuidada, que ela vai brincar, comer e dormir quando precisar. Que a mamãe e o papai precisam trabalhar e que mais tarde voltarão para buscá-la.

3 – Seja firme e forte

Tente não passar seu nervosismo, principalmente na hora da despedida. Sim, ela pode chorar, você pode chorar, mas você precisa ser forte para conseguir mostrar para ela que tudo será tranquilo e que você confia nas pessoas que estão com ela, assim ela também irá confiar. Reforce sempre que no fim do dia você voltará para pegá-la. Aqui em casa demos muita importância para a ida para escola, vamos felizes, cantando, o pai sempre que pode participa para transmitir mais segurança ainda.

4 – Cumpra com o que prometer

Independentemente da escola que você tenha escolhido para colocar sua criança, geralmente a primeira semana de adaptação é bem parecida. Você leva a criança por pequenos períodos de tempo, que vão aumentando conforme eles vão se acostumando com a ideia de ficar na escola sem os pais. Durante esse processo, é preciso que a criança se sinta segura e perceba que está em um local de confiança. Sair sem que ela perceba pode dificultar as coisas. Se você disser para ela que estará do outro lado da porta, fique, pois ela pode precisar de você e você não estará lá como combinado. 

5 – Seja paciente

Assim como nós, a primeira semana de adaptação na escola deixará a criança um pouco mais sensível. Junto às mudanças podem vir a ansiedade de separação, a insegurança, o medo, a frustração, a irritação e muito choro.

Mas é uma caixinha de surpresas, uma criança que dormia bem, pode passar a despertar mais por ter um dia mais agitado, por estar lidando com novas experiências, novas pessoas, o ritual do sono e o tempo especial que você passará com a sua criança ajudarão muito a contornar essa situação; outra criança que dormia mal, por ter uma rotina melhor estabelecida, mais atividades, pode ter um dia mais feliz e passar a dormir melhor, então, não adianta sofrer por antecedência, espere para ver.

Eu sei que não é fácil ver sua criança passar por tudo isso, mas é temporário e não esqueça que aprender a lidar com essas emoções é uma etapa importante do desenvolvimento dela.

Sempre que você se encontrar em uma situação difícil, tente conversar com sua criança reforçando a importância da escola e que você acredita que ela vai gostar de lá. É muito difícil, mas é necessário muita firmeza e uma dose extra de paciência e carinho de sua parte.

6 – Ajuste a nova rotina

Com a adaptação, o dia a dia da criança muda completamente: hora de acordar, hora de comer, mamar (transição do peito para mamadeira ou copinho), hora de brincar, hora dos cochilos, o que pode interferir na hora de dormir à noite também, então será necessário fazer alguns ajustes e o ideal é que eles sejam feitos da forma mais tranquila possível.

Provavelmente a escola terá um período em que estimulam os cochilos, pode ser que ela não se acostume a dormir naquela hora no início, que passe uns dias com os cochilos desregulados, que queira dormir assim que sai da escola, mas dê tempo ao tempo, para que sua criança assimile todas as mudanças e que a nova rotina se ajuste novamente.

Importante

Se você está voltando ao trabalho, experimente fazer a adaptação escolar antes de você voltar, entre uma semana antes ou mais, enquanto ainda está em casa, porque as primeiras noites podem ser mais agitadas e cansativas.

7 – Seja pontual

Mesmo a criança não tendo noção das horas, ela se acostuma muito bem com os rituais utilizados na escola. Portanto, ela vai saber que logo depois que a professora trocar sua roupa, arrumar seu cabelinho, colocar o seu casaco, sua mamãe deve estar chegando. Então, seja sempre pontual ao buscá-la para evitar medo e insegurança. Assim como seja pontual com a entrada, porque as escolinhas costumam ter rituais para começar o dia também. Teve um dia que estava atrasada e minha filha disse chateada que ia perder a “música do abraço”.

Importante

Mesmo que a criança seja pequena, evite as faltas desnecessárias. Ela pode não estar tendo atividades que você julga muito importantes, mas para ela são e não vão querer ficar com atividades/trabalhinhos a menos que os amiguinhos. Além de que as faltas quebram toda a rotina que está sendo estabelecida.

8 – Pratique a motivação e o encorajamento

Se sua criança já tiver desenvolvido a habilidade da linguagem, você provavelmente fica supercuriosa para saber como foi o dia da sua criança, não é mesmo? E mostrar entusiasmo pela rotina dela, incentivá-la a compartilhar as experiências da escola, ajudarão a entender melhor as novas situações e a deixará mais segura e confiante para o próximo dia.

Mas como cada criança é de um jeito, há crianças que chegam contando tudo e você nem precisa perguntar, outras que não sentem necessidade de contar, mas há formas de você iniciar um diálogo interessante e motivador com ela.

Use perguntas que a estimulem a falar mais, porque se você perguntar apenas “como foi seu dia?”, provavelmente receberá algo como “bom” ou “legal”, e só! Experimente perguntas como:

  • O que você mais gostou de fazer na escola hoje?
  • Com qual amiguinho você brincou mais?
  • Do lado de quem você se sentou?
  • Alguém fez algo engraçado, que te fez dar muita risada?
  • Algum amiguinho chorou? Por quê?
  • Algum coleguinha levou bronca da professora? Por quê?
  • Que livro a professora leu hoje? Você gostou?
  • Qual foi a regra mais difícil de seguir hoje?
  • Você gostou do lanche?
  • O que mais gostou de comer?
  • Ensina para a mamãe uma coisa que você aprendeu hoje?
  • Você deu ou recebeu um abraço em algum amiguinho hoje? Gostou?

E por aí vai. 😉

Esse tipo de conversa, além de motivar, encorajar e investigar a rotina de sua criança e como ela tem lidado com diversas situações, é uma ótima dica para manter sua criança acordada ao sair da escola também. Se ela ainda não tem a habilidade da linguagem, vai conversando do seu jeito, conte que sentiu saudade também, mas que o dia passou rapidinho e que você está muito orgulhosa dela, você também pode cantar uma música.

9 – Envolva-se com as atividades da escola

Tente participar de todas as atividades extras da escola que pedem participação dos pais, isso demonstra para a sua criança o valor que dá para sua vida escolar, deixa-a orgulhosa ao te apresentar seus trabalhos, amigos, professoras… O que a deixa mais feliz e confiante com sua rotina escolar.

Eu e a Valentina na semana cultural da escola.

Minha experiência

Com a Valentina, como era a primeira filha, tive muita insegurança, acabei sofrendo por antecedência sem necessidade. Mas a escola que escolhi ajudou muito no processo, me tranquilizou e a adaptação foi ótima. Fiquei aguardando na recepção por 3 dias, umas duas horinhas, nos outros 2 dias, não fiquei, mas ela ainda saiu mais cedo que as outras crianças, na semana seguinte já ficou o período todo. Fiz o que a escola aconselhou, mas ela já ficou bem desde o primeiro dia, mesmo assim respeitamos a integração gradual. (A Valentina tinha 2 anos e 2 meses.)

Com a Catarina, além de já estar mais tranquila com o processo, agora tinha a vantagem da irmã acompanhá-la. Ela não via a hora de ir para a escola com a irmã, sua companheira de vida estaria por perto e entrou na escola toda feliz e confiante de mãos dadas com a irmã. Como morava no interior, tudo pertinho e sem trânsito, fui pra casa, e a escola ficou de me ligar se ela estranhasse, mas não foi necessário. 😉 (A Catarina tinha 1 anos e 8 meses.)

Já mudamos de casa algumas vezes, a Valentina já passou por 3 escolas e a Catarina 2 e todas as adaptações foram tranquilas e as duas amam ir para a escola.

Primeiro dia de aula da Catarina, toda feliz e confiante com a irmã e a Valentina toda orgulhosa por estar ajudando a irmã e a apresentando à escola.

Resumindo para você:

  1. Leve um pedacinho da casa
  2. Nunca minta
  3. Seja firme e forte
  4. Cumpra com o que prometer
  5. Seja paciente
  6. Ajuste a nova rotina
  7. Seja pontual
  8. Pratique a motivação e o encorajamento
  9. Envolva-se com as atividades da escola

E como está sendo na sua casa? Já passou pela adaptação escolar? Como foi? Como está sendo? Compartilhe conosco sua experiência.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, coloque seu nome aqui