Como estimular a prática de exercícios físicos desde cedo

A atividade física é muito importante no desenvolvimento e na vida das crianças, tanto em relação ao melhor funcionamento biológico do corpo como para criar habilidades de coordenação, equilíbrio, agilidade e força.

Hoje em dia as crianças não estão recebendo a atividade física adequada que deveriam, em razão da falta de segurança para as brincadeiras que antes podíamos realizar na rua, da falta de tempo dos pais e até pela falta de dinheiro para bancar as atividades.

Mesmo assim sabemos a importância que as atividades físicas e a prática esportiva tem na vida de crianças e adultos e os resultados começam a surgir logo no início e se prolongam para a vida toda.

Mas quando as crianças podem iniciar a prática esportiva? Qual a melhor atividade de acordo com a sua idade? Como praticar esporte e não gastar muito? São dúvidas bem comuns entre pais e, neste artigo, vamos falar sobre isso.

De acordo com a KidsHealth, uma criança está emocional e fisicamente pronta para os jogos em equipe por volta dos 6 e 7 anos. Até os 3 anos de idade, a criança não tem a concentração necessária para praticar esportes formais, mas existem várias alternativas que já podem ser feitas desde bem pequenas.

Atividades para bebês

Muitas vezes nem percebemos, mas estamos exercitando nossos bebês. Brincar com seu bebê no berço ou no chão, em um tapete de atividades, pode acabar sendo muito mais do que uma interação entre pai e filho. Tudo isso vai ser muito importante quando ele começar a andar, correr e pular, pois você já está trabalhando a coordenação e o equilíbrio.

Se você fizer isso de forma adequada, respeitando a fase que a criança está, as atividades físicas acabam estimulando o desenvolvimento cerebral, a coordenação motora, cognitiva e a sociabilidade, além de motivar para que a criança busque algum esporte futuramente.

O mais importante, quando eles ainda são bebês, é o incentivo dos pais pela atividade física em geral, estimular a criança a se exercitar, interagir e brincar muito.

(Leia mais sobre como estimular nossas crianças por meio de brincadeiras, clicando aqui.)

Atividades para mais de 24 meses

Os movimentos de dançar, correr, pular e se mexer podem contribuir para o desenvolvimento da coordenação motora e do equilíbrio da sua criança, além de promover o fortalecimento muscular logo nos primeiros anos de vida.

Brincar de chutar e pegar bolas sem regras, dança livre com as músicas preferidas da criança, entre outras brincadeiras conhecidas, como “Corre Cotia” , “Meu Mestre Mandou”, esconde-esconde, pega-pega e estátua, também são ótimas opções.

Existem muitas academias e escolinhas especializadas em atividade física para crianças pequeninas. Mas para ser bem sincera, nesta idade não existe muita diferença entre aulas de ginástica e brincar no parque ou no quintal com as atividades que listei acima.

As escolas costumam trabalhar a psicomotricidade da criança em aulas de educação física e expressão corporal, o que quer dizer que eles vão começar a perceber o corpo e os seus movimentos.

A vantagem de envolver a criança desde cedo em algum esporte é que ela vai aprendendo a conviver com a ideia de coletividade e competição.

Por que as crianças precisam praticar esporte?

Você sabia que, no Brasil, uma em cada três crianças está acima do peso?

Esse número tão alto não está só ligado à alimentação, mas também porque as crianças não praticam esporte e preferem ficar ligadas a atividades eletrônicas, o que pode resultar em uma futura obesidade infantil, em razão do estilo de vida sedentário.

(Para saber mais sobre as consequências do uso do tablet para a sua criança, clique aqui.) 

Entre os principais benefícios da atividade física estão:

  • Desenvolvimento psicomotor.
  • Enrijecimento do desenvolvimento psicomotor.
  • Integração social.
  • Criação de hábitos saudáveis.

Atividade física e o sono da criança

Existe uma relação direta entre a atividade física e o sono da criança. O incentivo à prática do esporte é um dos 7 princípios do sono de acordo com o Programa Fada do Sono. Se você quiser conhecer os outros princípios, clique aqui e descubra quais são.

Qual a idade certa para iniciar no esporte e qual escolher?

Não existe uma idade certa para começar, pois vai depender de cada criança, dos seus gostos e aptidões, pois só assim ela sentirá prazer na prática.

Educar pelo exemplo também é muito válido. As crianças se espelham nos pais, mas isso não quer dizer que eles vão e devem gostar do mesmo esporte que você.

De acordo com especialistas, a recomendação é que, até os 5 anos, as atividades sejam de no máximo 4 horas semanais.

Para te ajudar a decidir e entender as modalidades esportivas que podem ser oferecidas à sua criança, criei a listinha de referência abaixo.

1 – Esporte com bola 

O convívio com bolas, principalmente pelos meninos, acontece naturalmente desde o berço.

Chutar a bola é um bom exercício para a coordenação motora e para o equilíbrio, tanto para meninos quanto para meninas.

Até os 3 anos a criança não vai conseguir acertar uma raquete em uma bolinha, por exemplo. Brinque com aquelas bolinhas mais leves (tipo de piscina de bolinha) e pratinhos descartáveis. Além de divertido, vai desenvolver a coordenação motora da sua criança.

Para ter uma noção do esporte, como tênis, futsal, vôlei e basquete, e seus objetivos, a criança precisa ter em torno de 6 e 7 anos.


Atenção!

Bexigas (ou balões de látex), por serem leves e divertidas, sempre foram muito usadas, mas apenas deixe a criança brincar com supervisão de um adulto e não a deixe em hipótese alguma levá-las à boca, nem para enchê-las. Parecem inofensivas, mas não podemos deixar de considerar os riscos de sufocamento e óbito de crianças que acabam aspirando a bexiga estourada. Apenas crianças acima de 7 anos podem tentar encher uma bexiga, mesmo assim, ainda com supervisão.


2 – Natação

As aulas de natação podem começar bem cedo, a partir dos 3 ou 4 meses de idade. Claro que nessa fase o bebê não vai aprender a nadar, mas já começa a gostar da atividade e ter noção dos movimentos.

A prática da natação envolve vários grupos musculares e pode ser um grande aliado na ligação afetiva de pais e filhos, pois geralmente as aulas são realizadas com a companhia de um dos pais.

A natação, além de aumentar o equilíbrio, a capacidade respiratória, a força e coordenação motora, também auxilia na prevenção e recuperação de doenças respiratórias, como asma e bronquite.

3 – Ginástica e artes marciais

Até os 3 anos as crianças podem ir se familiarizando com os movimentos, com o ambiente e com os uniformes que marcam essas modalidades esportivas, já que elas ainda não têm noção de competição.

Esse tipo de esporte vai ajudar seu filho a cair no chão sem se assustar e nem se machucar. Para os fundamentos mais específicos, os especialistas recomendam esperar até os 6 anos de idade.

As artes marciais, como karatê, judô e taekwondo, ajudam a desenvolver disciplina e o caráter da criança que podem ser aplicadas nos estudos.

4 – Atletismo 

Todas as crianças gostam de correr e pular, então a inserção neste esporte é praticamente automática.

Até os 3 anos, geralmente as crianças não conseguem nem correr em linha reta, portanto, no início, todo o treinamento será em forma de brincadeira. O melhor incentivo que pode ser dado ligado ao atletismo é levar sua criança para conhecer as pistas de atletismo e brincar de pega-pega.

5 – Dança 

Fazer passinhos sincronizados de balé ou qualquer outro tipo de dança, mesmo livre, é uma ótima maneira de exercitar o corpo. Dançar desenvolve a coordenação motora, agilidade, leveza, flexibilidade, equilíbrio e força, além de noções de ritmo, tempo e espaço.

6 – Musculação

Somente na fase pós-puberdade, quer dizer, meninas depois da primeira menstruação e meninos aos 16 anos.

Antes da idade adulta, a atividade física deve ser praticada no máximo três vezes por semana em um programa de 40 minutos de duração.


Entre 12 e 14 anos, sua criança já será capaz de determinar em qual esporte quer se especializar. Nesta idade ela já consegue saber que no esporte a gente ganha e a gente perde, faz parte, por isso manere nas cobranças, pois se elas forem excessivas sua criança pode pegar aversão às atividades físicas e não é isso que você quer, não é mesmo? 😉

E na sua casa, sua criança pratica alguma atividade física? Como a incentivou?

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, coloque seu nome aqui