Gratidão se aprende em casa! Descubra como desenvolver essa e outras habilidades em sua criança com atividades “do lar”

Minha pequena Catarina adora arrumar a mesa do jantar! Sim, pequena, pois ela só tem 4 anos e já sabe a importância da solidariedade dentro de casa e com a sua família. Aqui em casa não forçamos nada, elas que pedem para ajudar.

Você já parou para pensar que a sua criança pode contribuir em algumas tarefas de casa? Você sabia que essa ajuda pode começar mais cedo do que você imagina?

Mesmo pequenas, as crianças já possuem capacidade motora suficiente para desempenhar diversas atividades dentro de casa. E isso é muito importante pra elas, pois, quando pedimos alguma ajuda, elas começam a perceber que as atividades feitas pelos pais podem ser difíceis, demoradas e acabam valorizando ainda mais esses cuidados com a família e os próprios pais.

Quando nossas crianças nascem, elas dependem da gente para fazer tudo o que precisam para viver, da alimentação à higiene. Conforme crescem, vamos ensinado tudo que precisam saber para se virarem sozinhas, mesmo que o nosso instinto materno de querer fazer tudo para elas sempre fale mais alto.

Mas o que nós não sabemos é que colocar nossas crianças para ajudar a realizar algumas pequenas tarefas rotineiras da casa, faz com que elas valorizem as tarefas cotidianas, exercitem a responsabilidade, a força de vontade, a autoestima, a disciplina, a solidariedade, a gratidão e o sentido de pertencimento, pois faz com que se sintam importantes e membros ativos da família, em razão de algumas coisas dependerem delas, ainda que em parte, para funcionar. Tudo isso irá ajudá-las na formação do seu caráter e personalidade autônoma, levando em consideração o esforço e a capacidade de elas agirem por si mesmas.

Um recente levantamento realizado pelo IBGE apontou que 62,2% das meninas entre 5 e 17 anos têm o costume de realizar tarefas domésticas e ajudar a sua família. No caso dos meninos, esse número cai quase que pela metade, apenas 36,7% ajudam em alguma atividade diária. Qual será o motivo desta diferença? Será que ainda vivemos em uma sociedade machista, na qual as próprias mulheres, as mães, contribuem para isso?

Já sabemos e cansamos de ouvir, inclusive de sociólogos e orientadores familiares, que nós pais insistimos em fazer pelos filhos as tarefas pelas quais eles são responsáveis e plenamente capazes de realizar. Essa atitude superprotetora é um erro e os impedem de desenvolver certas virtudes necessárias para sua formação.

Mas quando e como devemos começar? 

As tarefas devem ser escolhidas de acordo com a idade da criança e precisam ser ensinadas de forma que desperte interesse nela, levando para o lúdico, como se fosse algo divertido. Arrumar os brinquedos, por exemplo, deve fazer parte da brincadeira. O reconhecimento, o elogio, por cada tarefa executada é muito importante, mesmo que não esteja perfeito.

As tarefas requerem supervisão e é essencial que os pais expliquem e ensinem suas crianças como se realiza cada atividade a ser executada, pois elas precisam saber o que vocês esperam delas. Por isso, o ideal é que as atividades sejam explicadas uma de cada vez para não as confundir. O legal de tudo isso é que também passa a ser um momento de grande interação entre pais e filhos, principalmente àquelas famílias que já passam pouco tempo do dia juntos.

Não é preciso esperar que ela cresça para começar a ajudar, pois pode ser tarde e é provável que já não tenha a mesma disposição que teria se fosse menor.

O melhor é começar com tarefas bem básicas, como recolher os seus próprios brinquedos depois de usá-los, recolher a roupa suja, pôr a mesa do almoço e do jantar, alimentar o animalzinho de estimação da família. Aos poucos os pais devem ir aumentando o grau de dificuldade e o número de atividades que a criança realiza.

Para te ajudar na hora de escolher as atividades adequadas para o seu filho, compartilhamos uma tabelinha a seguir. Confira!

Se isso ainda não acontece em sua casa, comece a incentivar, lembrando sempre de levar para o lado lúdico e divertido, envolvendo a criança, e que a atividade esteja de acordo com o que ela pode fazer para a idade.

Importante lembrar também de nunca usar produtos de limpeza pesados para não agredir a pele ou acarretar em uma alergia, usar apenas panos úmidos ou produtos neutros. Afinal, criança precisa ser criança e brincar muito, esse é apenas um exercício sobre a importância de ajudar o próximo, sobre gratidão e para começar a assumir algumas responsabilidades.

O estímulo dos pais no começo é necessário, mas o ideal é que, com o tempo, a vontade de ajudar da criança aconteça naturalmente. Para isso, basta seguir essas 3 dicas:

1 – Descobrir o que eles mais gostam de fazer

É bem importante deixar sua criança fazer aquilo que ela se identifica mais. Não se esqueça de sempre elogiar depois que ela terminar a tarefa; nunca repreenda se fizer algo errado, apenas ensine o modo correto, assim ela ficará mais motivada para desempenhar a próxima atividade e não se sentirá obrigada ou ameaçada. Incentive-a a fazer o que gosta porque ela faz muito bem aquela tarefa.

2 – Crie uma rotina

Não adianta, a rotina sempre será importante para que as coisas funcionem da melhor forma possível e para que a criança se sinta segura e confiante: hora de dormir, acordar, comer, ir para a escola, tomar banho e, por que não, ajudar. Estipular horários para ela realizar as tarefas de casa, como, por exemplo, arrumar a cama assim que acordar, ajudará a criança a não se perder e nem se sentir sobrecarregada.

3 – Dê opções

Se ela não gosta de lavar a louça ou secar, por exemplo, proponha outras opções, como ajudar a colocar ou tirar a mesa, cozinhar algo com você, algo que a envolva na mesma atividade que você, como um assistente, uma atividade compartilhada e prazerosa. Assim ela fará com mais vontade, até mesmo aquelas atividades que ela não gosta muito, porque uma hora estará envolvida nessas outras atividades sem nem perceber.

As crianças, ao participarem das tarefas diárias em casa, além de desenvolverem um senso de responsabilidade, entendem que é preciso contribuir para o bem estar de todos. Crianças com tal treinamento tendem a ser mais seguras, felizes e trabalharem melhor em equipe, porque desenvolvem a empatia. 😉


E como é na sua casa? Seus filhos ajudam nas tarefas da casa? O que você acha de as crianças ajudarem nas tarefas do dia a dia? Conte-nos como é na sua casa.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, coloque seu nome aqui