Porque NÃO dar suco natural ao seu bebê antes dos 12 meses

1
1545

A gente não vê a hora que o nosso bebê comece a comer frutinhas e tomar suquinhos, não é mesmo? Além de ser um marco do seu crescimento e desenvolvimento, é muito legal ver a carinha dele conhecendo novos sabores.

Muitos pediatras aconselham iniciar a ingestão de frutas por meio do suco, entre 4 e 6 meses. Acontece que um novo relatório feito pela Academia Americana de Pediatria (AAP) mostrou uma grande preocupação com os níveis de açúcar na bebida (frutose). Mesmo que o suco seja 100% natural, ele pode aumentar o risco de obesidade ou diabetes tipo 2 nas crianças, por isso ele deve ter uma dose limitada na dieta e ser consumido somente depois de 1 ano de idade.

As novas recomendações aconselham que as crianças não tomem suco até os 12 meses. Mas o estudo ainda diz que há evidências de que a incorporação de pequenas quantidades pode oferecer vantagens sem perigo, quando pensamos que elas estão ingerindo nutrientes.

Por isso, após essa idade, a AAP sugere que o consumo do suco seja de, no máximo, 120 a 240 gramas por dia e que ele seja natural, sem nenhuma adição de açúcar. Na tabela a seguir, você pode verificar a quantidade ideal sugerida para cada idade.

Um outro estudo, publicado pela Childhood Obesity, fez a ligação do consumo do suco natural e as alterações de gordura no corpo da criança na fase entre a pré-escola e a adolescência e pode confirmar, por meio de registros alimentares feitos por 12 anos com 103 crianças, que os que consumiram suco de frutas e vegetais acabaram tendo uma proteção maior contra o desenvolvimento do excesso de gordura corporal durante a adolescência que aqueles que nunca consumiram.

Mesmo sendo necessário mais dados para termos uma conclusão exata do consumo do suco natural, uma recente publicação feita na PloS One, que inclui uma análise de quatro estudos realizados em adultos, concluiu que a ingestão de suco de frutas 100% natural não foi associado com o risco de desenvolver diabetes tipo 2.

Um outro estudo realizado em crianças e adolescentes entre 2 e 18 anos de idade descobriu que os que não consumiram suco natural apresentaram baixa quantidade de nutrientes essenciais no organismo, incluindo vitamina A, vitamina C, ácido fólico, fósforo e magnésio. A conclusão desse estudo diz que o consumo de suco de frutas natural está associado a melhor adequação de nutrientes e pode contribuir para uma dieta saudável em crianças e adolescentes.

E então, oferecer suco de frutas natural é ou não é benéfico ao bebê?

Diante desse impasse, chamamos a nutricionista Carla Massuia, especialista em nutrição materno infantil e gastronomia, para nos tirar essa dúvida de vez!

Dra. Carla, afinal, oferecer ou não suco ao bebê? E às crianças, como fica o consumo?

A introdução alimentar da criança deve ocorrer a partir dos 6 meses de vida, sendo a papa de frutas recomendada para este momento de acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). (Para saber mais sobre introdução alimentar, clique aqui.)

Antigamente, a introdução era realizada com o famoso suco de laranja lima, no entanto, sabe-se hoje que ofertar a fruta é mais saudável, pois preserva a quantidade de fibras existentes no alimento, enquanto o suco não possui a mesma quantidade desse item.

Exemplificando: Para 100 mL de suco de laranja, utilizamos uma ou mais unidade da fruta e, se refletirmos, o bebê não consome duas laranjas inteiras na sua versão in natura.

Sendo assim, o recomendado, atualmente, é não ofertar suco de frutas no primeiro ano de vida do bebê. Após esse período, pode ser ofertado suco integral de frutas, desde que limitada a quantidade. Muitas crianças consomem suco em demasia e, muitas vezes, deixam de beber água, visto que o suco “é docinho” e a água, sem gosto. Isso pode se tornar um problema em longo prazo, pois, ainda que seja fruta, há calorias e açúcares naturais no suco de frutas.

Quais as frutas que podem ser feitas o suco puro? E quais podem ser misturadas em água?

Em todos os sucos de frutas podemos adicionar água para diluí-lo, inclusive, a Academia de Pediatria do Reino Unido sugere que seja ofertado suco natural de frutas diluído para as crianças. No Brasil, observamos que na maioria dos sucos naturais (feitos de fruta mesmo) são adicionados açúcar refinado, mesmo os de frutas doces, então indico o seguinte:

  • Eleja uma fruta, transforme-a em suco e, caso ainda não esteja tão docinha, como no caso do maracujá, que é azedo, misture com outra fruta mais doce, como a banana.

As crianças costumam gostar de algumas misturas como essas. Melancia com limão, maracujá com banana, laranja com acerola fazem sucesso com os pequenos.

(Lembre-se que a criança não conhece o gosto das coisas até experimentar, se você acostumá-la desde cedo a não adoçar o suco, ela não vai perceber a diferença. Para saber mais sobre o açúcar na vida das crianças, clique aqui e leia este outro artigo com a colaboração da dra. Carla.)

Quais são as frutas de mais fácil digestão para preparar o suco e quais são as de maior teor de açúcar natural?

O abacaxi e o mamão são frutas facilmente digeridas, pois apresentam, respectivamente, bromelina e papaína, enzimas que auxiliam, inclusive, na digestão de outros alimentos contidos no estômago.

Via de regra, todas as frutas possuem fácil digestão, pois possuem fibras, umas mais, outras menos, mas todas possuem. Reforço ainda que a fruta na sua versão in natura é uma melhor opção, pois comemos partes que não são aproveitadas nos sucos (normalmente coados).

O teor de açúcar natural varia muito! Depende do grau de maturação da fruta, por exemplo, safra e outras questões. Não posso dizer ao certo qual a fruta com mais açúcar, pois depende dessas variáveis, mas uva, banana e manga possuem mais açúcares naturais que demais frutas.

E as que possuem mais nutrientes para a criança?

Todas as frutas são ricas em nutrientes e devem fazer parte da alimentação da criança. O ideal é variar, pois o que mais contém em uma, está presente em menor quantidade na outra. Por exemplo: Na laranja há bastante vitamina C, que reforça a imunidade, mas não tem grande quantidade de potássio. Já o abacate, possui pouca vitamina C, mas possui bastante potássio e daí por diante.

E os sucos artificiais? Como escolher a melhor opção?

Esquema básico:

  • Opte sempre que possível pela fruta ao invés do suco. Está com sede, beba água! Estimule o consumo de água com as crianças.
  • Se for muito difícil, escolha sucos feitos na hora somente com a fruta ou coma fruta e água apenas.
  • Se forem inviáveis as duas primeiras alternativas, opte por polpas de frutas.
  • Ainda não deu certo? Escolha sucos de caixinha que contenham as seguintes descrições na caixinha: 100% fruta ou a frase: suco de fruta integral.
  • No mais, fuja dos refrescos em pó (possuem 1% ou menos de fruta e são cheios de corantes e conservantes) e também daqueles de caixinha, chamados de néctar, que tem a foto de fruta, mas quando você olha o rótulo, o primeiro ingrediente é o açúcar!

Curiosidade:

Ao olhar a descrição dos ingredientes na embalagem, saiba que eles estão sempre na ordem decrescente, começa com o ingrediente de maior quantidade e até chegar no de menor quantidade.


É verdade que ofertar o suco de laranja durante a refeição, para a criança que come mal, ajuda a reter o ferro e outros nutrientes?

A laranja é rica em vitamina C e uma das funções dessa vitamina é melhorar a absorção de ferro. Não precisa ser só a laranja! Pode ser melancia, goiaba, mexerica e limão, que também são ricos em vitamina C. Se optar por ofertar suco para seu filho, o melhor momento é após a refeição, não durante, para não atrapalhar a mastigação e tirar a fome dele. Depois de terminar de comer é uma hora mais apropriada. Mas é relevante ressaltar que chupar a laranja/mexerica ou comer a melancia ou a goiaba ao invés de tomar o suco, faz o mesmo efeito em relação à absorção do ferro.

Para que você tenha uma perfeita absorção de nutrientes para sua criança, é necessário introduzir uma alimentação saudável combinada a fruta. (Clique aqui para saber quando e como começar essa introdução.) 

Os sucos de frutas batidos com folhas verdes (couve, espinafre e até alface), ou com legumes (cenoura, beterraba e tomate), ou ainda com multigrãos (chia, linhaça, aveia etc.), podem ser oferecidos às crianças?

Podem ser ofertados sim, mas sempre associados ao consumo de água durante o dia, pois fibras em excesso podem causar constipação.


FIQUE ATENTA(O)!

A indústria quer que a gente acredite que os sucos de caixinhas, principalmente os estampados com as figuras de personagens amados pelas crianças, são inofensivos e “do bem”, dessa maneira, acreditamos que estamos dando vitaminas e minerais para nossos filhos, e, sem percebermos, aquele suquinho “inofensivo” entra na rotina e, quando vemos, lá se foi 1 litro de suco consumido em um dia, com muito açúcar incluído ali.

A criança acaba não bebendo água, mastiga pouco e continuamos com a falsa sensação que ela está nutrida e que não precisa comer fruta, pois já tomou o suco. Vale a pena deixar os sucos, principalmente os artificias, para momentos esporádicos, limitar a quantidade e lembrar que o líquido importante para nossa hidratação, é a água!


Colaboradora deste artigo:

Dra. Carla Massuia, nutricionista especialista em nutrição materno infantil e gastronomia. Atua em alimentação escolar e em consultório. 


Comente com a gente como é na sua casa, se sua criança já toma suco, se é natural ou industrializado, quais as frutas que a sua criança mais gosta. Sua experiência é muito importante pra gente. 😉

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, coloque seu nome aqui