Será que você realmente está criando um filho para ser feliz? Psicólogos de Harvard encontram a chave para que seu filho se torne um adulto feliz

0
2282

“As crianças não nascem simplesmente boas ou más e nunca devemos desistir delas. Elas precisam de adultos que as ajudem a se tornar carinhosas, respeitosas e responsáveis ​​por suas comunidades”. Richard Weissbourd, psicólogo do Projeto Making Caring Common da Harvard

Os tempos mudaram muito e criaram-se novos hábitos, conjuntos de comportamentos e atitudes que parecem muito diferente dos que estávamos acostumados quando éramos criança.

A geração de hoje está munida de muita tecnologia que parece distraí-la da necessidade de sair, brincar na rua e socializar como costumávamos fazer na nossa época.

Pais estão mais preocupados com as conquistas de seus filhos, como ser o melhor da turma ou do time, e em encontrar distrações para que ele seja feliz do que em ensiná-los a se preocupar com o próximo (segundo 80% dos entrevistados para o projeto Making Caring Common).

Quando as crianças passam a simpatizar e assumir responsabilidades pelos outros (ser socialmente conscientes), provavelmente são mais felizes e mais bem-sucedidas que outras que não são estimuladas a isso. Essas crianças terão melhores relacionamentos em suas vidas inteiras e relacionamentos fortes são um ingrediente chave da felicidade.

Pensando nessas questões, psicólogos da Universidade de Harvard, do Projeto Making Caring Common, descobriram que existem vários elementos que ainda são muito importantes e básicos para a infância das crianças. A chave para educar uma criança feliz, nesta época de muitas mudanças, não é tão complicada como você possa imaginar.

Neste artigo, listarei os 7 segredos para educar uma criança feliz, de acordo com os resultados das pesquisas feitas pelos psicólogos do projeto.

Vamos lá?

1 – Passe mais tempo de qualidade com seu filho para ensiná-lo a desenvolver relacionamentos carinhosos

Não é suficiente apenas estar fisicamente em torno do seu filho, pois ele precisa estar com você completamente. Isso significa que nenhum celular, tablet ou videogame pode substituir a ligação que a criança realmente precisa ter com os pais.

Ao se comunicar com seu filho abertamente, ouvindo e fazendo coisas que ele gosta, ele não só vai amá-lo mais, mas também vai aprender a ser uma pessoa atenciosa e cuidadosa, além de lembrar da sua infância com muito carinho.

As crianças aprendem a cuidar e respeitar quando são tratadas dessa forma. Quando nossos filhos se sentem amados, eles também se tornam apegados a nós. Esse apego os torna mais receptivos aos nossos valores e ensinamentos.

Seu filho vai preferir sempre ter uma pessoa real para conversar e para compartilhar ideias e experiências, mesmo que ele não pareça consciente disso.

Procure sempre perguntar como foi o seu dia e ouça com atenção tudo que ele tem para falar, discutindo os dilemas que ele pode ter na sua cabecinha.

As perguntas devem ser formuladas para trazer à tona seus pensamentos e sentimentos, como: “O que você aconteceu na escola hoje que te fez se sentir muito feliz?”, “Alguém fez algo bom pra você hoje?”, “Alguém fez algo que te deixou triste hoje na escola?”.

Tome muito cuidado para não dogmatizar lições de suas experiências; porém, ele precisa experimentar essas coisas por meio de sua própria perspectiva.

Veja quais são seus passatempos favoritos e tente aprender com ele, como, por exemplo, jogar os jogos que gostam, ler os livros que eles mais amam e assistir ao filme que ele adora, ele vão gostar muito de compartilhar isso com você.

2 – Seja um modelo moral para o seu filho

Crianças aprendem valores éticos e morais observando os adultos que admiram e é por isso que você deve sempre prestar muita atenção às suas ações, além de estar pronto para admitir possíveis falhas e erros, inclusive quando um erro afete os dois, peça desculpas pelo erro e explique o que planeja fazer para evitá-lo na próxima vez.

O objetivo é mostrar humildade e honestidade. Com isso, seu filho vai se sentir muito mais confortado e enxergará melhor as soluções para os seus próprios problemas e passará a lidar melhor com eles.

Mostre para o seu filho que você se importa e que está pronto para aceitar e trabalhar as suas falhas também. Pratique a justiça, a honestidade e os cuidados por si mesmo.

O resultado que você deseja ver em seu filho vem do esforço que você coloca em si mesmo.

3 – Ensine o seu filho a cuidar dos outros

Como os pesquisadores de Harvard dizem:

“É muito importante que as crianças escutem pelos seus pais que tratar bem os outros é tão importante quanto a sua própria felicidade. Mesmo que os pais tentem ensinar essa prioridade para seus filhos, muitas vezes eles não vão ouvir a mensagem da maneira correta, por isso, se você agir sendo exemplo do que disse, ficará bem mais fácil”.

Então, esteja sempre pronto para honrar seus compromissos e ensine-o a fazer a coisa certa, mesmo quando for difícil ser um modelo. Você precisa justificar o que você diz a ele com as suas ações, entende?

Responsabilidades e obrigações são algo que você sempre precisa mostrar para o seu filho. Nas tarefas dadas em casa, nas responsabilidades escolares, nas boas maneiras, nas promessas feitas…

Nunca esqueça de lembrá-lo que ele não está sozinho, e que os outros têm expectativas sobre ele e que precisa estar pronto para cumprir o que prometeu e se comprometeu.

Honre seus compromissos, faça o certo, mesmo quando é difícil, defender princípios importantes de justiça e insistir para que seja respeitoso, mesmo que não esteja feliz nessa situação e mesmo que o outro não se comporte assim.

4 – Incentive seu filho a praticar a gratidão

Uma criança bem-educada é aquela que sabe reconhecer os papéis dos outros em sua vida de uma forma saudável. Esse reconhecimento vem com apreço pelas pessoas que contribuem para a sua vida, como membros da família, amigos, professores…

Gratidão é uma estrada de dois sentidos com efeitos maravilhosos. Pessoas que praticam a gratidão geralmente são mais gentis, generosas, compassivas e tolerantes. Elas também estão mais propensas a serem mais felizes e saudáveis.

Esteja pronto para mostrar gratidão por algo bom que seu filho faça por você, como nas tarefas de casa, mas tenha cuidado! Ao mostrar um monte de gratidão em forma de recompensa por qualquer coisa que ele faça, você pode “estragá-lo”.

Quando esses tipos de ações de generosidade na rotina são simplesmente esperados e não recompensados, eles são mais propensos a se tornarem enraizados nas ações diárias da criança.

5 – Ensine-o a ter uma visão maior do mundo

Um fato comum, com quase todas as crianças, é que elas costumam simpatizar com um pequeno círculo de amigos e integrantes da família. Isso é normal, mas o verdadeiro desafio é ensinar as crianças a começarem a pensar em outros círculos de pessoas.

Precisam saber que como os seus pensamentos e ações podem ajudar e incluir muitas pessoas. Elas precisam aprender a ampliar, ouvir atentamente e criar círculos para diminuir a distância com as pessoas que interagem todos os dias.

6 – Ensine seu filho a ter pensamentos e atitudes éticas e positivas

Ensine seu filho a ter preocupações por pessoas que vivem em outras comunidades e que são mais vulneráveis. A lutar contra injustiças.

Como você pode incentivar isso?

Ensinando-o a se aproximar de uma criança nova na escola ou de uma criança com problemas familiares ou que está sofrendo bullying, para ajudar ou somente ouvir e apoiar a outra criança.

Separar brinquedos para doação também ajuda a entender que existem realidades diferentes e o que ela pode fazer para fazer diferença nessas outras realidades.

As crianças também precisam considerar como suas decisões afetam uma comunidade. Romper uma regra da escola, por exemplo, pode tornar mais fácil para os outros infringirem as regras e assim a vida na escola fica mais complicada. Falar sobre o que pensa de algum colega pode rotulá-lo a outros e tornar sua vida mais difícil também.

7 – Ensine o seu filho a ter autocontrole e a lidar com os seus sentimentos

Nomeie os sentimentos mais difíceis de lidar, como raiva, tristeza e frustração. Incentive-o a falar sobre o porquê de ele se sentir assim.

Se você estiver passando por um momento difícil e seu filho perceber que você está preocupado, explique para ele como você está lidando com esse sentimento, o que está fazendo para mudar isso.

Ensine para o seu filho um exercício para se acalmar quando estiver lidando com algum sentimento: pare, respire fundo pelo nariz e expire através da boca e conte até cinco.

Ensine o exercício quando ele estiver tranquilo. Quando você perceber que ele está se alterando, lembre-o do exercício e pratique junto com ele.

Se ele está com raiva em razão de algum limite ou regra que está ensinando a ele, explique que você o ama e está somente preocupado com seu bem-estar.

Lembre-se, valores e crenças são transmitidos pelos pais e moldam as regras e normas que formarão o comportamento da criança. São essenciais na formação da personalidade da criança. Criar um filho carinhoso, gentil e feliz não é fácil, porque nós precisamos dar o exemplo antes de tudo, mas é algo que todos somos capazes de fazer e não há nada mais gratificante do que criar um filho íntegro e feliz.

Bibliografia consultada:
https://mcc.gse.harvard.edu


E você, acha que consegue aplicar esses 7 segredos em casa? Na sua opinião, qual deles acha mais difícil ensinar?

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, coloque seu nome aqui